sexta-feira, julho 13, 2012


Férias dos pequenos

Meus pequenos estão de férias da escola e eu não estou de férias do trabalho.

Minha sogra os convidou para passar uns dias lá na casa dela no Rio, e então fomos levá-los no último final de semana e combinamos que, conforme fosse essa semana, eles ficariam mais uma semana. Se eles sentissem muito a minha falta, eu iria buscá-los, mas se estivessem bem, ficariam.

E eu já to aqui MORRENDO de saudade, achando tudo chato, a casa vazia, silenciosa...sem graça total. Mas a verdade é que eu estou trabalhando muito e não conseguiria dar atenção que eles merecem aqui.

E a cada dia, vou recebendo fotos como essas:



(estão tristes, né??? Linda foto!)

(olha o rabinho de cavalooooo......não aguento! rs!)




E então eu penso que embora eu esteja com muita saudade, seria muito egoísmo da minha parte trazê-los para SP só porque eu sinto falta e privá-los dessas férias maravilhosas que estão tendo ao lado dos avós que fazem tudo por eles, com todo amor do mundo.

E eu vou encarar mais uma semana longe deles, com o coração pequenininho de tanta saudade, mas com a certeza de que eles estão sendo muito amados, aproveitando muito e muito felizes com os avós.

Os avós estão felizes com eles por lá. Imagino que cansados, mas felizes demais. Os pequenos estão felizes tb por lá....só me resta ser feliz também por eles terem a oportunidade de desfrutar dos avós!

Aproveitem muito, todos! Eu fico aqui contando os dias para abraçar os dois e aproveitando para fazer programinhas de adulto, sair com o maridão...o que tb é uma delícia, né??



8

terça-feira, julho 10, 2012


Vó Bisa

Minha vó Rosa, mãe da minha mãe, virou Vó Bisa.
Criou uma filha, ajudou a criar 4 netos e acompanhou o crescimento de 9 bisnetos. E virou vó Bisa quando nasceu o primeiro bisneto. No último domingo o céu ficou mais lindo com a chegada da Vó Bisa, o céu ficou alegre, doce, com cheirinho de pão de queijo feito em casa que ela sabia fazer como ninguém.

Eu era a neta mais nova e sempre morri de paixão pela Vó. Quando eu era criança, ia pra casa dela e escondia mil bilhetinhos apaixonados pela casa toda, para que ela fosse achando no decorrer da semana...colocava no armário do banheiro, no meio dos lençois limpinhos, dentro de panela, colado na máquina de lavar roupas...ela ia encontrando, me ligava e dizia que tinha adorado. E guardava todos! Eu já adulta encontrei os bilhetinhos com ela e fiquei toda emocionada.

Ela já morou na minha casa também, e eu passava noites dormindo na cama com ela...ela fazia carinho no meu cabelo, me ensinava a fazer tricô e me contava histórias de quando era novinha, contava que fugiu pra casar com meu avô, contava coisas sobre a minha bisa e contava sobre minha mãe quando criança.

Ela dizia que queria muito conhecer meu filho, que ela tinha que viver pra poder pegar meu filho no colo. Ela tinha paixão pelos bisnetos e não podia deixar de conhecer os meus. Eu na fase de baladinhas, sem namorado e ela dizia que eu precisava arrumar logo um filho. Veja bem, eu não precisava de um namorado, eu precisava de um filho...rs!

Quando ela conheceu o Dani, ainda namorado, ela disse: "Filha, ele é lindo. Faz logo um filho com ele, pq assim vc garante um filho bonito. Se não der certo não faz mal...vc separa". hahaha. Eu morria de rir com isso, mas no fundinho morria de medo de que ela não conhecesse meus filhos, que ainda nem estavam nos planos.

Mas ela conheceu. Não só conheceu os dois, como pegou os dois no colo, fez muito carinho e despertou um amor intenso neles. André, ainda bebê, já era doido pela bisa. Ela morava no litoral e então não viamos com muita frequência, mas ele sempre queria ver fotos da Bisa, pedia pra colocar foto da Bisa na televisão e dava sorrisos lindos, mandava beijos pra ela...





Em 2009 ela teve um infarto, ficou internada e deu um susto horrível na gente. Quando fui visitá-la, ela disse que nós não precisavamos ficar tristes, que ela tinha tido uma vida linda, sem qualquer sofrimento, que tinha curtido os netos e os bisnetos....que já podia ir em paz. Ela ria e dizia: "quem vc conhece, da minha idade, que já morou na Austrália?"

E era verdade, ela teve uma vida linda. Sempre foi muito querida e amada por todos.

Aos 70 e poucos anos, encarou uma viagem pra Austrália e por lá ficou por mais de ano morando com meu irmão, cunhada e filhos. Viajou pro outro lado do mundo, sem falar o idioma, pra ajudar a cuidar de bisnetos. Saia nas ruas da Austrália e batia papo com todo mundo...voltava contando as histórias que tinha ouvido e ninguém sabia como ela tinha entendido, mas era sempre verdade. Ela tinha o jeitinho dela de se comunicar.

Ano passado operou a catarata e depois ficou emocionada novamente quando viu meus filhos....disse que nunca havia enxergado tão bem o rostinho deles e que eles eram ainda mais lindos do que ela se lembrava.





Ela foi realmente minha segunda mãe, mas mãe sem obrigações. Eu não gostava de comer e ela passava a comida para o prato dela e dizia pra minha mãe que eu tinha comido tudo. Ela ficava uma hora penteando meu cabelo para tirar os nós sem me machucar. Ela me ensinou a jogar "tombula", ela fazia nhoque pra mim, ela me dava conselhos, contava sobre a sua vida e me ensinou que Deus existe e que ele é a natureza! 

Ela me ensinou tanto sobre o amor...

É unânime, ninguém tem nenhuma lembrança triste sobre ela...

Ela foi embora tranquila, sem dor, sem sofrer, sem fazer ninguém sofrer...ela foi em paz, linda e serena. Vai deixar uma saudade doce, lembranças felizes e uma alegria danada de ter tido a oportunidade de conviver com uma presença tão incrível.

E repetindo todas as pessoas que foram se despedir dela no domingo: ela foi a melhor pessoa que eu já conheci. É ou não é muito especial ter tanta gente dizendo isso sobre uma mesma pessoa?

Descanse muito, tá Vozinha? E continue sempre aqui pertinho da gente que o nosso coração vai estar sempre pertinho de vc. Te amo muito!!!!




15