quinta-feira, junho 30, 2011


Do contra

Esse é a versão 3 anos do André - ele contraria tudo o que a gente fala e faz. Nada nunca está certo, só está legal quando é do jeito dele.

- Filho, vamos subir pra tomar banho?
- Não, mãe, quero brincar mais um pouquinho.

ou

- Filho, você pode brincar mais um pouquinho enquanto eu dou banho na Nana e depois você toma.
- Não, mãe, quero tomar banho agora.

Sacaram? Só pelo prazer de contrariar. Se eu estou enxugando ele quer o pai, se o pai está colocando a roupa, ele quer a mãe. Se eu falo pra ele comer sozinho, ele quer ajuda. Se eu começo ajudando, ele quer comer sozinho. Se eu ofereço maçã (que ele AMA) ele fala que não gosta e que quer manga. Se eu ofereço manga, ele quer maçã.

(Sim, Renata, todo mundo já entendeu, pode parar de dar exemplos!!!)

Essa fase é absolutamente irritante. Agora aprendi a falar sempre o contrário do que eu quero que ele faça para que ele mesmo possa sugerir o que deve fazer, mas caaaaaaaansa, viu??

Ele quer mostrar que tem opinião própria, que é grande e sabe decidir o que quer...mas não se trata de opinião, se trata apenas de ocntrariar o que a gente diz. E dá um trabalho danado converncê-lo do que precisamos que ele faça.

É fase?? Será?? Alguém??

Sim, eu sei que vai passar, mas tá chata essa brincadeira!!! rsrs!
16

quarta-feira, junho 29, 2011


Nana terrível

Um belo dia deixo a Nana sozinha na cozinha por pouco mais de um minuto e quando eu volto vejo a menina de cabeça pra baixo e meu coração quase saiu pela boca com medo de ela cair de cabeça e ela gargalhava como uma maluca.

A partir de então, ela faz isso todas as vezes que entra na cozinha, então eu pedi ajuda ao marido porque eu TINHA que filmar isso, senão ninguém acredita quando eu conto...rsrsrs!

E a solução vai ser tirar o cadeirão da cozinha porque não tem jeito de ela parar de fazer isso!!!

Quando me perguntam se eu quero outro filho, respondo que a Nana vale por 5!!! rsrsrs!


video

OBS.: Mãe, isso é um vídeo. Clique no triângulo para assistir!!! :-))
20

sábado, junho 25, 2011


Festa da Nana

Eu prometi fazer um post contando tudo sobre a festa da Nana e foi passando e ainda não fiz, então chega de adiar.

Em primeiro lugar eu quero dizer que quem tem amigos tem tudo nessa vida. E eu tenho a sorte de ter uma amiga decoradora de festas infantis e uma amiga fotógrafa!!! Quer mais o que pra ter uma festa linda???? Uma aniversariante super gata, e isso eu também tenho :-))

Sobre a decoração MARAVILHOSA que a Carol fez pra festa com o tema de joaninhas (escolhido pela mamãe aqui) eu vou fazer um post especial mostrando os detalhes lindos de morrer e fazendo a super propaganda que a amiga merece.

Hoje eu vou falar sobre as fotos. Gente, ficaram INCRÍVEIS e eu me emociono todas as vezes que vejo. Ela conseguiu retratar toda a alegria que nós estavamos sentindo naquele dia e todo o clima delicioso da festinha. Eu não só indico como acho que todas as pessoas do mundo tem que contratá-la para as festas porque terão uma recordação linda pra toda vida.

Aqui está o site da Dani e AQUIIIIIII estão as fotos do aniversário da Nana pra quem quiser ver. Vejam só como a Nana está mega princesa e como o André se divertiu...eu AMEI as fotos do pé sujo!! rsrsrs

Obrigada, Dani. Eu mudaria de novo a data da festa pra vc poder fotografar... :-))
17

quarta-feira, junho 22, 2011


Viva EU!!!

Eu adoooooooooro fazer aniversário! Fico feliz, animada e super de alto astral. Adoro receber o carinho das pessoas, as palavras doces, as mensagens, adoro.
Passo o dia inteiro sorrindo.
Nem me importo com a idade. To ficando mais velha sim, é inevitável, mas estou muito mais feliz do que jamais imaginei estar aos 34 anos!!
Feliz de verdade e completamente realizada com a minha vida.

Dá pra ser melhor??

Então um brinde: tim-tim!!
30

quarta-feira, junho 08, 2011


Circo Vox

Sábado foi dia de pintura e domingo foi dia de circo.

Juntamos muuuuuuuitas crianças e fomos ao circo. Foi muito, muito, muito legal. Fazia muito tempo que eu não ria tanto. Os artistas são muito talentosos, o espetáculo é lindo e nos divertimos muito.


O André reclamou um pouco no começo porque tinha um palhaço chorão...ele ficava perguntando por que o palhaço estava triste e chorou também. No mais, ele adorou e já me disse que quer ir de novo ao circo!!!
O auge da diversão foi quando chamaram o papai dele, meu maridão, para participar do espetáculo. Era um número em que os adestradores (palhaços) tinham que domar o leão e, no caso, maridão fez o papel do leão. Ele é mega tímido e eu olhava pra cara dele "sofrendo" por estar lá e chorava de rir. O André ficava falando "o papai adora brincar com os palhaços, né?" e morria de rir também. Foi demais e eu super recomendo.


Ouvi falar do circo por indicação da Pati e agora eu também indico como um programa delicioso em família. Vejam o site deles AQUI!
15

segunda-feira, junho 06, 2011


dia de pintura

Sábado tava um friozão, então peguei as tintas para entreter as crianças. Foi a primeira vez da Nana na arte de pintar com tintas e pincéis. rs!
Coloquei um tapetinho de EVA no chão pra salvar um pouco do meu chão e dei as tintas pra galera...

No começo eu até tentei ajudar a Naninha....mas durou pouco, muito pouco

Em poucos segundos, a roupa já estava toda azul, assim como mãos, rosto, tapete, tudo...

Dedé resolveu dar um toque de mãos na sua linda obra de arte.

Na direita apresento a belíssima pintura da Nana e na esquerda, a impressionante arte do Dedé.

Nem preciso dizer que a minha roupa também ficou tingida, né? Bem feito, né mãe, quem mandou brincar de pintura usando calça branca???

Muita sujeira, mas muuuuuuuita diversão! rsrsrs!
23

sexta-feira, junho 03, 2011


Fica aqui mais um protesto #basta

Eu sou chata com comédia. Não gosto de filmes de comédia...não acho graça na maioria das piadas, não consigo rir. São pouquíssimos os filmes de comédia que eu posso dizer que gosto (acho que uns 2).
Também sou chata com humoristas e programas humorísticos. Tá, eu sou chata com muitas outras coisas, mas realmente não consigo ver graça na maioria das piadas, sempre acabo achando forçadas, apelativas e preconceituosas. Não sou super politicamente correta, mas também acho ridículo o humor se apoiar no politicamente incorreto. Humor negro (olha aí uma definição preconceituosa) - detesto. E o que eu detesto ainda mais é preconceito.
Todos e de qualquer tipo - detesto!
Muito antes do André nascer eu ficava me policiando para não fazer comentários preconceituosos para que isso não passasse para ele da forma natural como passou pra mim, já que alguns comentários nem parecem preconceituosos ou ofensivos, mas são. Chamava atenção do marido para todos os comentários sem graça como "mulher no volante" ou "loira não entende a piada", entre outros. Tudo isso porque quero que o meu filho cresça livre desses pré conceitos e aprendendo a respeitar todas as diferenças, sejam elas de cor, de altura, de peso, religiosas, políticas, futebolísticas, etc. Quero que entendam que as pessoas podem ser diferentes, podem pensar diferente da gente e quem por isso precisam deixar de ser nossos amigos, que podemos expor o nosso ponto de vista sem magoar ou desrespeitar quem é ou quem pensa de outra maneira.

Digo tudo isso pelo seguinte. Os humoristas do CQC (confesso que NUNCA assisti o programa. Já fui ao stand up do Rafinha e achei muito divertido, mas o programa eu realmente nunca vi) fizeram piadinhas extremamente desrespeitosas e preconceituosas com as mulheres que amamentam em público.

Alguns comentários aqui:

“Por que cargas d'água tem aquela mãe que enfia a teta nas caras das pessoas na rua, véio? Mano, vai prum banheiro, c*ralho, porque a gente olha, não tem como.”

“Não precisa tirar aquele mamilo, que mais parece uma, que parece um rocambole."

"Amamentar é um pretexto, porque no fundo o que a mulher quer mesmo é mostrar os seios."

“É que quem quer mostrar a teta é quem não deveria querer mostrar. Nunca é aquela gostosa. Geralmente é aquela mãe com aquelas buchibas”. E os três lamentaram por nunca terem visto a Giselle Bundchen amamentar, apenas aquela mulher “que não precisa de um sutiã, precisa de joelheira”.

Sério, gente, alguma pessoa normal consegue ver graça nesses comentários? Eu não! Acho ridículo, porco, preconceituoso ao extremo.

Exageraram, né?

Eu sempre amamentei em público, em qualquer lugar e na frente de quem quer que fosse: amigos meus, amigos do meu marido, meu sogro, garçons, funcionários, enfim qualquer pessoa, fossem homens ou mulheres. André ou Mariana queriam mamar e eu amamentava, simples assim. Sem nenhuma outra preocupação que não fosse alimentar os meus filhos.

E então acabo de descobrir que o que eu estava mesmo era querendo mostrar o peito! Afe, socorro, tem que ser muito doente!!!

#BASTA




14

quinta-feira, junho 02, 2011


Irmãos

Há pouco tempo, a Anne escreveu um post divertidíssimo sobre um "causo" dela com a irmã e esse post me fez lembrar de uma história minha com o meu irmão. Só pra situar, eu sou a caçula de três homens - sim, sou mimada, eles me amam, me mimam e me tratam com todo carinho do mundo, mas tem o outro lado, né? Nunca tive muito com quem brincar.
Eu sempre atazanava a vida do meu irmão (o mais novo dos três, que é seis anos mais velho que eu) pra brincar um pouco comigo e de vez em quando ele topava. Uma vez propôs o seguinte acordo: brincaria 15 minutos de Barbie comigo e eu seria escrava dele por um mês. E eu topei, claro. Por QUINZE minutos de brincadeira, fiquei um mês pegando água, fazendo sanduíches, indo buscar tudo que ele pedisse e tal.
Eu queria uma brincadeira fofa, onde o Bob (não era Ken na época) trocasse de roupa pra ir passear com a Barbie, uma cena romântica e aquelas coisas de menininha, mas imaginem como era o Bob na mão de um menino de 13 anos brincando com uma menina de 7. As maiores atrocidades: O Bob corria muito com a Barbie no carro, eles capotavam e a Barbie quebrava o pescoço ou então o Bob se escondia para dar sustos aterrorizantes na Barbie e por aí vai...
Por outro lado, esse mesmo irmão sempre quebrava o meu galho...quando nós crescemos um pouco e eu tinha horário pra minha mãe ir me buscar nas festinhas, ele sempre se propunha a ir me buscar, combinava uma hora depois do permitido e dizia pra minha mãe que ele que tinha se atrasado. Estudava comigo até de madrugava nas vésperas de provas e milhões de outras camaradagens que eu poderia passar o dia contando....

(ele nem tem cara de terrorista de Barbies, né?? rs!)

Toda essa introdução pra contar o que está rolando aqui em casa - uma relação entre tapas de beijos do Dedé com a Nana. Eles brigam muito, um quer o brinquedo que está na mão do outro, os dois querem água SEMPRE no mesmo copo (comprei um igual e não adiantou...eles querem o mesmo, ao mesmo tempo), um empurra, o outro puxa o cabelo, um bate, o outro cospe e eu passo o dia mediando conflitos. A Nana ainda é pequena e não sabe brincar direito, então sempre acaba atrapalhando a brincadeira do André. E ele, obviamente, não tem nenhuma paciência. Além do mais, ela é beeeeem mais agitada que ele e está sempre causando quando ele está brincando sossegadinho. (Ontem ele estava quietinho vendo filme, ela subiu no sofá, subiu no colo dele e ficou pulando e batendo palmas...eu achei fofíssimo, mas ele ficou morrendo de ódio. rs!).
Eu sempre tento apaziguar as situações.
André vem gritando: "Mãeeeee, a Nana puxou meu cabelo". E eu respondo:
- Filho, ela não sabe pedir desculpas, mas nós vamos explicar pra ela que puxar o cabelo é muito feio.
Ele reclama "Mãeeeeeeeee, a Nana arrancou o copo da minha mão". E eu respondo:
- Filho, ela ainda não sabe te pedir o copo, mas nós vamos explicar pra ela que ela não pode arrancar da sua mão.

Até que ontem estavamos nós três no carro, quando aconteceu o seguinte: A Nana tem uma bonequinha que ela segura pra dormir e ela estava irritada jogando a bonequinha longe. Ela jogou uma vez e depois começou a chorar porque queria a bonequinha. Eu encostei o carro, peguei a bonequinha e dei na mão dela. Ela jogou novamente e alguns minutos depois começou o berreiro. Eu encostei o carro de novo e dei a bonequinha pra ela. Juro, ela fez isso umas cinco ou seis vezes...e eu tranquilamente parei o carro e devolvi a bonequinha. Até que eu me irritei e quando ela jogou de novo eu disse: "Chega Mariana, agora você vai ficar sem a sua bonequinha"

E o André logo saiu em defesa da irmã : "Mãe, pega a bonequinha pra ela. Ela não sabe pedir pra você e depois a gente explica pra ela que ela não pode jogar a bonequinha longe"

Eu quase derreti de tanto amor....achei tão lindo ele defender a irmãzinha e torço pra que seja sempre assim. Mãe se derrete por tão pouco, né?

(eu aguento essa foto de cabecinha encostada??? Ai, ai...)


18