terça-feira, novembro 29, 2011


Dor de filho

No último sábado teve reunião na escola dos pequenos e a professora do André comentou comigo que o comportamento dele mudou um pouco nas últimas semanas. Ele está arredio, se recusa a participar das atividades e muitas vezes não quer nem fazer as aulas extras (ed. física, capoeira e música), que são as que ele mais ama.

Ela me contou também que o seu melhor amigo da escola, o João, saiu da escola repentinamente e ela não teve tempo nem de trabalhar isso com as outras crianças, fazer uma despedida, nem nada. A mãe do João o levou na escola um dia qualquer e avisou que era o último dia dele. Assim, às pressas, porque o marido havia sido transferido e eles estavam de mudança para outra cidade.

E isso coincidiu com a mudança de comportamento do André. Ou seja, É ESSE O MOTIVO da mudança de comportamento dele.

Ele gosta dos outros amigos e brinca com as outras crianças, mas o João era o amigão. Ele chegava todos os dias contando alguma coisa sobre o João, levava um brinquedo pra ele e outro pra emprestar pro João, enfim...era o melhor amigo da escola.

Eu fiquei super chateada e fui conversar com ele. Comecei perguntando se ele estava com saudades do João e ele me respondeu "muita saudade" (meus olhos já se encheram de lágrimas!!). Eu expliquei que o papai do João teve que mudar pra longe e que ele não conseguiria vir pra essa escola porque é muito longe de onde ele está morando agora. Expliquei que o João também está com muita saudades dele e também queria muito brincar com ele, mas que ele vai ter que ir pra outra escola e fazer novos amigos.

Disse que ele tem muitos outros amigos legais na escola que adoram brincar com ele. Lembrei a ele que os amigos ficam tão felizes quando ele chega na escola, que vem até a porta dizendo "Dedééééééé" porque gostam muito dele e querem brincar com ele. Nessa hora ele sorriu e disse: "É mesmo, mãe, todo mundo grita meu nome quando eu chego".

Eu fui mostrando pra ele o quanto ele é querido na escola, o quanto os outros amigos são legais, quanta gente bacana tem pra brincar com ele e ele disse que gostava dos outros amigos também, mas que gostava mais do João.

E eu me dei conta de que essa foi a primeira "perda" dele. É a primeira vez que ele é privado da presença de alguém que ele gosta muito. E ele está triste, está sentido de verdade.

E eu me senti impotente, sem saber como aliviar a "dor" que ele está sentindo. Pela primeira vez vejo meu filho assim e não posso fazer muito a não ser conversar, conversar e conversar....

Difícil, né???

(eu aqui, no auge da TPM, chorando só de escrever o post....socorro, alguém controla os meus hormônios!!!! snif....)
28

28 comentários:

Elise Machado disse...

Tadinha! E tadinho! Primeira perda dói mesmo. Mas ele vai ficar bem, só precisa de um tempinho.
Que a sua tpm passe logo tb :)

Mamatraca disse...

Ai meu amor... eu não posso ajudar em nada. Tenho vontade de pegar a mãe do João pelas orelhas! #gravida
Mas se ajuda, pense que são essas pequenas decepções que vão ensina-lo a ser forte e tolerante aos desafios maiores... clichê né?
bjo não chore!

Anne disse...

E essa fui eu comentando logada na conta da firma... abapha

Dani disse...

Ah Rê.... que dóóó.... O que pode acalmar o seu coração é que dói mais pra gente do que pra eles... sempre soube disso. Qdo fico triste por algo que aconteceu com a Laura (ela tem 11 meses e caiu da cama, bateu a cabeça, eu fiquei péssima), eu fico horrível, choro, tenho dor de cabeça e ela fica melhor do que eu imaginava. Claro que estou falando de algo físico, que é mais curável. A dor de dentro, daquelas de doer o peito, não dá para medir ou avaliar. Mas acho que a gente sofre mais do que eles, de qlq forma. Daqui dois dias ele estará brincando horrores e vc vai ver que vai melhorar muito o comportamento e sua aceitação.
Crianças são super adaptáveis, fácil de conviver, fácil de gostar, são puras, ingênuas e entregues. Daqui uns dias ele terá outro novo grande amigo, e vc vai postar para contar pra gente!!!

Beijos!

lolo disse...

Ah, Rê, chorei tb!! Tadinho do Dedé!!! Não restou nem um número de telefone para ele ligar para o João??

Mariana disse...

Pqp, coracao na mao e nada q se possa fazer ! Mil vezes droga!

Tatiana Monte disse...

Oi, podíamos transferir tudo pra gente sentir, mas tem coisas que eles sentem mesmo!!!
Estou fazendo o sorteio no blog www.sublimeamordemae.blogspot.com
um livro bacanaaaaaa

beijos

Nine disse...

Ai, eu já fui a mãe do João, hehe, nós tb fomos transferidos e de uma hora para outra tivemos que tirar a Ísis da escola, assim, sem mais nem menos...uma correria só. Mas ela era novinha ainda, mal tinha completado 1 ano...
Tadinho do Dedé! Amizade é uma coisa tão boa, tão bonita, se sempre tem aquele amigo que a gente se identifica mais!
Um abraço nos dois!
Beijos,
Nine

Mônica disse...

Ai que dó.. Acho que chorava junto.. Mãe tem que tirar força sei lá de onde porque ver essas pequenas decepções são demais de ruim né.. Mas nessa hora concordo com quem disse aí em cima que o clichê funciona mesmo!
Bjs

Mônica disse...

Ai que dó.. Acho que chorava junto.. Mãe tem que tirar força sei lá de onde porque ver essas pequenas decepções são demais de ruim né.. Mas nessa hora concordo com quem disse aí em cima que o clichê funciona mesmo!
Bjs

Roberta Lippi disse...

Eu que nem tô de TPM quase chorei aqui. Afe, tadinho....
Sabemos que esta será a primeira de muitas vezes que ele terá esse sentimento de perda, né? Mas uma coisa é saber na teoria, outra é ver o filho sofrendo na prática.
Tadinho. Mas logo ele esquece, Re.
Vc tem contato com a mãe do João? De repente poderiam telefonar pra eles, colocar os dois pra falar por telefone, skype ou qualquer coisa. Assim ele vai se afastando aos poucos e não de uma forma tão brusca.
Beijos

Alice disse...

Dá uma agonia ver que ficamos de mãos atadas em alguns momentos, né? Fico pensando em quantas vezes teremos que presenciar um sofrimento deles sem poder neutralizá-lo... mas a verdade, apesar de clichê, é que vai passar e ele vai crescer com isso. Tô cheia de dó... quer um abraço? Bjks!

Sarah disse...

Own, que dozinha... Hoje mesmo escrevi um post sobre perdas e decepções, que não queria que o pequeno passasse por isso... Porque, apesar de fazer parte da vida, de ajudar a crescer... dói mesmo. Neles e na gente.
Força aí, e muito chamego pra esse mocinho!
bjao

Camila disse...

Rê, que dó! A Manu passou por algo parecido qdo uma amiga muito, muito querida mudou de período na escola. Ela ficou bem sentida, triste e com muita saudades. Acabava encontrando a amiga em outras ocasiões e eventos da escola, mas acho que no caso do João, isso não ia dar certo, né?! Enfim, eu tentaria um contato "virtual". Fala pro Dedé fazer um desenho pro amigo, vc escaneia e manda por email, será que rola?? Mas a verdade e a sorte das crianças é de que isso passa, antes do que vc pode imaginar... Mas não custa manter o contato!
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.com.br

Paloma, a mãe disse...

Oh, tadinho, que dor. Sabe que a gente saiu de SP meio assim, correndo, na doida, porque a gente não tinha a data da posse, mas eu arranjei um emprego antes e a mudança foi feita em um final de semana. O que eu fiz foi imprimir uns cartõezinhos com os nossos contatos e dar para colegas e professoras, avisando da nossa partida.
Beijos

Li disse...

É uma situação muito difícil mesmo, mas, coisas da vida! Sorte dele em ter uma mãe atenta e aberta a conversações... Uma mãe com quem ele pode dividir seus sentimentos, seus pensamentos... uma mãe que mostra que isso acontece, que teremos muitas perdas em nossas vidas, que vamos ficar tristes, chorar... mas que temos novos caminhos a seguir!!!

Beijos!

Lívia.

(Mamãe) ~Pinel disse...

Nada pior que essa impotência na maternidade, mas não chore... essas perdas são inevitáveis na vida. E nada melhor que darmos o carinho que os filhos precisam e claro, muita orientação e conversa!

Daqui a pouquinho a falta do João, e a sua TPM passam, eu espero! hehehe

Beijo!

Dione disse...

Aff, dói a gente ver eles sofrendo e não poder fazer nada, né? Só dar colo, fazer cafuné e dizer que vai passar.

Carol Garcia disse...

tadiiiiiico....
isaac passou por isso esse ano também, mas como tinha dois super amigos, o que ficou supriu e muito a falta do que se foi.

e a gente chora mesmo, e sente muito.

bjocas e força aí

Ivana - coisademae disse...

Ô Rê, tadinho! Dá um abraço nesse pequeno,com a certeza de que ele vai superar isso com o amor de vocês e o carinho dos outros colegas!

Um abraço apertado!

Carolina disse...

É a pior dor do mundo. Ver um filho sofrer e não poder fazer nada. Quer dizer, damos carinho, conversamos e esperamos que eles se acostumem.
Beijocas no Dé.

Sonica disse...

Como é duro Renata, eu também passei por momentos assim, e infelizmente virão outros, mas é assim que eles vão se fortalendo...relembrei das primeiras decepções dos meus filhotes,e também chorei...
Bjs,

@MAKEPOPULAR disse...

oi ja estou seguindo pode conferir...

me ajuda e me segue de volta tb?

www.makepopular.blogspot.com

Juliana disse...

Renata, vim te visitar e te agradecer pelas palavras no MMqD hoje. Muito obrigada!!
Sabe, ao ler seu texto fiquei pensando nas professoras aqui da Suíça e no quanto eu chorei também, desde que mudamos pra cá. Mesmo sabendo de todas as dificuldades pelas quais passamos, o comportamento de Gabriel foi muito criticado e me fazia sofrer demais pensar em todas as mudanças que estavam acontecendo na vida dele e a falta de "compaixão" da escola.
Um beijo grande e espero que tudo esteja bem agora!
Juliana

Rosângela Grub Costa disse...

Nossa, eu adorei o teu blog! Também tenho três filhotes gatos! Pinball, Puca e Quindim (amarelo como o cheddar)
Tudo de bom. Grande abraço!!!

Dany, Danielle disse...

Ai que dó!!!
Muita serenidade pra ajudá-lo neste momento e não fazer a situação ficar ainda mais pesada pra ele.
Beijos e tô na torcida.

Mari Hart disse...

Ô dóóóó, meu Deuso =(((

Alice Vianna disse...

Oi, Renata!
Aproveitando esta época do ano, quero recomendar a visita ao site do educar Para Crescer (www.educarparacrescer.com.br). Além de o site oferecer inúmeras matérias relacionadas à educação, há também algumas que abordam a importância de se escolher bem a escola para os filhos.
Vale a pena conferir.
Tudo de bom pra você!
Um super abraço!