quinta-feira, junho 02, 2011


Irmãos

Há pouco tempo, a Anne escreveu um post divertidíssimo sobre um "causo" dela com a irmã e esse post me fez lembrar de uma história minha com o meu irmão. Só pra situar, eu sou a caçula de três homens - sim, sou mimada, eles me amam, me mimam e me tratam com todo carinho do mundo, mas tem o outro lado, né? Nunca tive muito com quem brincar.
Eu sempre atazanava a vida do meu irmão (o mais novo dos três, que é seis anos mais velho que eu) pra brincar um pouco comigo e de vez em quando ele topava. Uma vez propôs o seguinte acordo: brincaria 15 minutos de Barbie comigo e eu seria escrava dele por um mês. E eu topei, claro. Por QUINZE minutos de brincadeira, fiquei um mês pegando água, fazendo sanduíches, indo buscar tudo que ele pedisse e tal.
Eu queria uma brincadeira fofa, onde o Bob (não era Ken na época) trocasse de roupa pra ir passear com a Barbie, uma cena romântica e aquelas coisas de menininha, mas imaginem como era o Bob na mão de um menino de 13 anos brincando com uma menina de 7. As maiores atrocidades: O Bob corria muito com a Barbie no carro, eles capotavam e a Barbie quebrava o pescoço ou então o Bob se escondia para dar sustos aterrorizantes na Barbie e por aí vai...
Por outro lado, esse mesmo irmão sempre quebrava o meu galho...quando nós crescemos um pouco e eu tinha horário pra minha mãe ir me buscar nas festinhas, ele sempre se propunha a ir me buscar, combinava uma hora depois do permitido e dizia pra minha mãe que ele que tinha se atrasado. Estudava comigo até de madrugava nas vésperas de provas e milhões de outras camaradagens que eu poderia passar o dia contando....

(ele nem tem cara de terrorista de Barbies, né?? rs!)

Toda essa introdução pra contar o que está rolando aqui em casa - uma relação entre tapas de beijos do Dedé com a Nana. Eles brigam muito, um quer o brinquedo que está na mão do outro, os dois querem água SEMPRE no mesmo copo (comprei um igual e não adiantou...eles querem o mesmo, ao mesmo tempo), um empurra, o outro puxa o cabelo, um bate, o outro cospe e eu passo o dia mediando conflitos. A Nana ainda é pequena e não sabe brincar direito, então sempre acaba atrapalhando a brincadeira do André. E ele, obviamente, não tem nenhuma paciência. Além do mais, ela é beeeeem mais agitada que ele e está sempre causando quando ele está brincando sossegadinho. (Ontem ele estava quietinho vendo filme, ela subiu no sofá, subiu no colo dele e ficou pulando e batendo palmas...eu achei fofíssimo, mas ele ficou morrendo de ódio. rs!).
Eu sempre tento apaziguar as situações.
André vem gritando: "Mãeeeee, a Nana puxou meu cabelo". E eu respondo:
- Filho, ela não sabe pedir desculpas, mas nós vamos explicar pra ela que puxar o cabelo é muito feio.
Ele reclama "Mãeeeeeeeee, a Nana arrancou o copo da minha mão". E eu respondo:
- Filho, ela ainda não sabe te pedir o copo, mas nós vamos explicar pra ela que ela não pode arrancar da sua mão.

Até que ontem estavamos nós três no carro, quando aconteceu o seguinte: A Nana tem uma bonequinha que ela segura pra dormir e ela estava irritada jogando a bonequinha longe. Ela jogou uma vez e depois começou a chorar porque queria a bonequinha. Eu encostei o carro, peguei a bonequinha e dei na mão dela. Ela jogou novamente e alguns minutos depois começou o berreiro. Eu encostei o carro de novo e dei a bonequinha pra ela. Juro, ela fez isso umas cinco ou seis vezes...e eu tranquilamente parei o carro e devolvi a bonequinha. Até que eu me irritei e quando ela jogou de novo eu disse: "Chega Mariana, agora você vai ficar sem a sua bonequinha"

E o André logo saiu em defesa da irmã : "Mãe, pega a bonequinha pra ela. Ela não sabe pedir pra você e depois a gente explica pra ela que ela não pode jogar a bonequinha longe"

Eu quase derreti de tanto amor....achei tão lindo ele defender a irmãzinha e torço pra que seja sempre assim. Mãe se derrete por tão pouco, né?

(eu aguento essa foto de cabecinha encostada??? Ai, ai...)


18

18 comentários:

Nayara Kraemer disse...

Ahhh !!! Lindas as duas histórias ...
O André realmente é um fofo , cara ! Sempre uma respontinha na ponta da língua ... ahahha !
Bjokas

Angi disse...

Oi sou nova aqui, e amei já!
adorei a sua história, me lembro de quando fazíamos aposta, e quem perdia tinha que ser escravo, era muito ruim!hahaha
E que super fofo o André defendendo a Nana!AMEI, QUE SEJA SEMPRE ASSIM MESMO!
Angi
p.s.seu irmão não parece terrorista de barbies...
ah,se puder, conheça meu cantinho tb!
maedeguri.blogspot.com

Dê Freitas disse...

Rêeee...que fofo esse Dedé...dá até vontade de ter um segundinho..., rsrs.

bjs,

Ivana - coisademae disse...

Ai que foto mais linda, transborda amor!

Rê, acho que as briguinhas fazem parte do próprio desenvolvimento deles, porque cada um está procurando o seu lugar no mundo (e no coração da mãe também, embora saibamos que tem lugar pra todo mundo, né?). Pelo menos é assim que tento encarar a briga dos três aqui em casa. Não é sempre que vejo como algo ruim. MAs, com certeza, temos sempre de fomentar a paz, o carinho, o companheirismo, o amor. Isso é o mais importante.

Adorei tudo!
Bjocas!

Paula Dreger disse...

Ai que delicia de historia Re!
Me emocionei.
Seus filhos sao lindos e se hoje eles brigam e se provocam, logo eles serao amigos e inseparaveis.
Um beijo,
Paula

Fabiana disse...

Rê, mãe se derrete por tudo o que vale a pena! E isto aí do Dedé defender a Nana, não é pouco não viu! É uma cumplicidade que não foi ensinada, que vem do coração. E quer coisa mais linda que isto? Que esta cumplicidade continue pra a vida toda.
É muito bom mesmo ter irmão!
Bjos

Paloma, a mãe disse...

Ai, que lindo ele defendendo a irmã!
Aqui a relação está assim também. E eu mediando o dia in-tei-ro. Quando é mesmo que eles brincam juntos sem um adulto por perto, hein?
Beijos

Celi disse...

Que linda essa relação entre eles. Uma cumplicidade sem tamanho. Uma delícia de ver! Mãe baba mesmo, né? rs
Achei o máximo como eles absorvem tudo que falamos. Seu filho falando "Mãe, pega a bonequinha pra ela. Ela não sabe pedir pra você e depois a gente explica pra ela que ela não pode jogar a bonequinha longe"
Lindo demais!
Um beijo.

Sonica disse...

Re, que história boa, dessas que devem ser guardadas para sempre!!!Seus filhos estao demais...(hj to aqui na Pati, larguei td e vim passar o dia, pq nao estava aguentando mais ficar longe desse menino mais fôfo, que está tirando uma sonequinha agora).
Adorei voces na matéria da Época!
Beijinhos aos "quatro" componentes dessa linda família,

Bia disse...

Na minha modesta opinião o Bob era muito mais legal do que o Ken, não sei porque eles se separaram :o)

Eu também tenho irmão mais velho, e até hoje nos damos muito bem... e te digo uma coisa, acho que amor de irmão é um dos maiores que há.

E essa foto? é impressão minha ou a diferença de tamanho dos dois é pequena?

beijos!!!

Lia disse...

Adorei! Dedé tem razão, ela não sabe que a bonequinha não volta só...
E você e seu irmão são a cara um do outro!

Avassaladora disse...

Lá em casa por enquanto são só beijos, porque a Ciça ainda não engatinha/anda... mas daqui há pouco eu tô vendo a brigalhada...hehehhehe

Anônimo disse...

Os dois tem algumas coisas em comum comigo e com o meu irmão mais velho. Ele quietinho e bonzinho, ela agitadinha e cheia de personalidade. Te digo que se for como foi conosco as brigas só pioram, mas essa situação de um defender o outro contra a mãe também acontece constantemente. É como quem diz "só eu posso brigar com meu irmão!"

Anne disse...

Suspiros profundos!!

Jussara disse...

Me emocionei com a história sua e do seu irmão. Tb só tenho irmãos (dois) bem mais velhos, e por isso era muito sozinha; sempre quis mesmo foi ter uma irmã.

Linda a foto do André e da Nana (como ela tá cabeludinha). Muito fofo ele sair em defesa dela. :)

Mãe do Pitoco disse...

Ai, ai... que lindos! Crianças amadas são assim... não têm medo de serem o que são. Eles sabem que ambos são respeitados do jeitinho que são e por isso se sentem à vontade tanto para fazer as "implicâncias" quanto para defender um ao outro. Mais uma indicação fortíssima de que você é uma baita mãezona e vem criando duas crianças lindas, educadas, fofas, mas com características próprias, que são respeitadas. Acho invejável esse equilíbrio em lidar com irmãos. Como sou mãe de filho único e fui filha única por 9 anos, não sei se seria tão sábia quanto você na frase que explica o jeitinho da Nana para o André. Isso é tão simples e tão perfeitamente compreensível para ele, que você só pode ter nascido para esses dois.
Um beijo enorme na família linda.

Nine disse...

Fofos, né?
Eu me lembro dos meus perrengues com minha irmã mais nova, vivíamos brigando em casa, mas se alguém brigasse com ela (e podia ser até a mãe),aiaiai, eu virava bicho!
Amor de irmão é assim, cresce aos trancos e barrancos e é muito especial!
Beijos,
Nine

Letícia Volponi disse...

Ah, que coisa mais maravilhosa que é ter irmãos, né? Fico me remoendo por ter demorado para encomendar o segundinho, mas sei que vai ser assim especial sempre