quinta-feira, junho 30, 2011


Do contra

Esse é a versão 3 anos do André - ele contraria tudo o que a gente fala e faz. Nada nunca está certo, só está legal quando é do jeito dele.

- Filho, vamos subir pra tomar banho?
- Não, mãe, quero brincar mais um pouquinho.

ou

- Filho, você pode brincar mais um pouquinho enquanto eu dou banho na Nana e depois você toma.
- Não, mãe, quero tomar banho agora.

Sacaram? Só pelo prazer de contrariar. Se eu estou enxugando ele quer o pai, se o pai está colocando a roupa, ele quer a mãe. Se eu falo pra ele comer sozinho, ele quer ajuda. Se eu começo ajudando, ele quer comer sozinho. Se eu ofereço maçã (que ele AMA) ele fala que não gosta e que quer manga. Se eu ofereço manga, ele quer maçã.

(Sim, Renata, todo mundo já entendeu, pode parar de dar exemplos!!!)

Essa fase é absolutamente irritante. Agora aprendi a falar sempre o contrário do que eu quero que ele faça para que ele mesmo possa sugerir o que deve fazer, mas caaaaaaaansa, viu??

Ele quer mostrar que tem opinião própria, que é grande e sabe decidir o que quer...mas não se trata de opinião, se trata apenas de ocntrariar o que a gente diz. E dá um trabalho danado converncê-lo do que precisamos que ele faça.

É fase?? Será?? Alguém??

Sim, eu sei que vai passar, mas tá chata essa brincadeira!!! rsrs!
16

16 comentários:

Luciana - Descobertas disse...

OI Re.. um dia desses vc deve ter lido que a Carol do Viajando na Maternidade contou uma história parecida do filho dela.

Deve ser uma fase com certeza.

O que mais me incuca é de onde nosso filhos tiram isso? Se eles aprendem com alguém ou não.

Enfim... mais paciência né!

Bjs

Dani disse...

Então Rê, a Nina quase bate de idade com o Dedé e quando vejo vc falar alguma coisa dele, é batata, um mês depois, Nina tá na mesma vibe, vamos dizer assim.
Aqui a fase do contrário não tá tão aparente ainda. Nina gosta mesmo é de desafiar a gente toda hora. Hoje mesmo, enquanto eu dava mamá para a Alice, ela insitia em colocar os pés da cabeça da irmã. Pedi pra ela, 2, 10, 20 vezes. Ela não parou. Daí, parei de dar mamá e coloquei ela pra pensar. Mas fiquei "p" da vida! Ai, como vc disse mesmo, RN é fácil!
Beijo!
Dani

Anna disse...

heheheh

igualzinho por aqui.

Mary disse...

Vc já pensou em dar opções para que ele escolha?

Ao invés de falar: "Vc quer maçã?", vc chega e fala: "Agora é a hora de vc comer fruta, vc quer maçã ou banana?".
Na hora do banho, ao invés de perguntar se ele quer tomar banho, vc pergunta: "Você prefere que eu te dê banho agora e seu pai enxugue, ou que o papai te dê banho agora e eu enxugue?".
Ao invés de perguntar: "Vamos vestir essa roupa?", vc pergunta: "vc quer vestir a roupa azul ou a amarela?".
Dessa forma vc mostra pra ele que não tem opção, ele tem que fazer o que vc quer, mas que ele pode escolher como pode ser feito, apesar de ele não poder se negar ao que vc está colocando que deve ser feito. Pode funcionar!

Paula Ruas disse...

Oi!

Você já tentou oferecer opções (plausíveis) pra ele ao invés de dar uma só pra ele contrariar? Por exemplo: "você quer vestir a camiseta azul ou amarela?" "quer tomar banho de chuveiro ou de banheira?" "quer a maça picada ou raspada?"
Dessa maneira ele é meio que 'obrigado' a escolher uma ao invés de dizer que não. Espero que ajude.

Mariana - viciados em colo disse...

passa, com 30 anos, mas passa kkkkkk
paciência e estratégia!

Avassaladora disse...

Ai, lá em casa tá igual... e haja paciência!!!!

Paloma, a mãe disse...

Ai, só sei que ameniza com o tempo, mas, passar, passar... passo a resposta para mães de crianças maiores! Não sei mesmo.
Beijos

Rapha da Alice disse...

"É fase, isso passa."

É praticamente um mantra, não?
hahahahahahaha

Beijos,

Rapha, mãe da Alice
http://maternarconsciente.blogspot.com/

Andréa disse...

Rê,como mãe de terceira viagem,velha e cheia de experiências nesse quesito,NÃO PASSA!!!!!!
Muda a abordagem talvez,mas é a mesma coisa.
Filhos,pessoas estranhgas pra caramba.Que Deus nos ajude.
Beijos.

Mari Hart disse...

Re, sinto muito te informar, mas piora!!!! ahhahahah... e MUITO!!!! Deixa chegar na pré-aborrecência pra vc ver o que é ser do contra! Te garanto que ainda é um mar de rosas! Aqui com Stella, 11 anos, qdo quero que ela faça algo, falo ao contrário. Tipo assim, se ela tá com uma roupa ridícula, sei que não adianta sugerir que troque, então eu digo "vc está linda!". Ela vai lá e troca, batata! kkkkkk...

Bjão querida!

Lia disse...

Que fofura! :P (não me bata!)

Thati Bordados disse...

Ufa, já passei "desses terríveis 3 anos"... Mas quer saber? Já que nunca fui mega paciente, eliminava as partes das perguntas, do tipo: vamos tomar banho agora? Vamos fazer xixi? Porque certamente a resposta seria NÃO só para contrariar. Então eu simplesmente falava: vamos tomar banho. (ponto final,sem chances para resposta)vamos fazer xixi.Mas isso porque minha pequena sempre foi muuuuuuuuuito cordata, e passei por essa fase do não sem mais stress... Agora com 7 anos, o papo é outro, tenho que explicar o porque das coisas, dialogar, enfim, agora ela é capaz de entender o porque de uma ordem... E depois dessa fase, virão outras mais desafiadoras, nós sabemos!
Baci

Cynthia Santos disse...

Ainda não chegamos nessa fase...tremo só de pensar...ehehehe adorei as dicas da Mary!

Ivana - coisademae disse...

ai,ai, ai...socorro!!! Tô me preparando!!! Respira e acredita que vai passar!

Bjos!

Mamma Mini disse...

Rê o David teve essa fase, e melhorou, mas continua com a coisa de querer fazer valer a opinião dele e vontade dele, segundo minha terapeuta super válido e super natural porque eles precisam sentir que estão sendo ouvidos e que estão exercendo sua independência, o que funcionou pra mim foi perguntar antes e dar sempre duas opções, assim ele decide e fica feliz, exemplo: filho quer maçã ou manga e ele manga... ou filho quer tomar banho agora ou depois? acho que ajuda Rê, vc deixa ele com opção e aí não se desgasta, desde que seja possível é claro, eu faço sempre nas coisas que tem argumentação, o que não tem argumentação dou uma de tirana, faço com ele contrariado e ponto final... mas ele acaba entendendo! Boa sorte querida, um beijo!