quinta-feira, março 03, 2011


Pediatra

Eu tenho ouvido umas histórias de pediatras que me deixaram de cabelo em pé. É tão importante escolher um bom profissional, ter empatia, sentir segurança, confiança, saber que a pessoa é disponível, que não se importa em responder todas as nossas dúvidas....são tantas e tantas coisas importantes na hora de escolher e mesmo tomando todos os cuidados, é cada uma que se ouve por aí...

Pediatra 1
O sujeito teve a capacidade de dizer para uma mãe, com uma filha de quase 6 meses - "Sua filha tem 1 semana para aprender a bater palmas, o prazo é 6 meses"

Preciso comentar o tamanho do absurdo?? Tudo é errado, o prazo, a cobrança e, especialmente o fato do cara preocupar a mãe quando ele deveria ser a pessoa que para a tranquilizar dos tantos absurdos que se ouve por aí. Além do mais, até parece que o desenvolvimento motor e neurológico da criança se mede exclusivamente pela capacidade de bater palmas aos SEIS meses ...afe, socorro!

Pediatra 2
A mãe perguntou se poderia dar ao bebê um biscoitinho, do tipo 'maizena', para a criança treinar a habilidade de levar à boca sozinha. O pediatra respondeu que "maizena" era perigoso e sugeriu que ela desse bolacha champanhe! Isso, aquela mesmo, toda coberta de açucar!!!
Esse mesmo senhor disse à mãe que ela não precisava dar só laranja lima, mas que poderia dar qualquer outra, com um pouquinho de açucar!!!
Esse bebê tem OITO meses!!!

A sorte é que nos dois casos, os pais são pessoas esclarecidas, informadas e inteligentes, que perceberam o tamanho do absurdo. Mas e se não fossem? Estariam dando açucar a um bebê de oito meses e até passando a informação adiante....
MEDO desses profissionais!!!
21

21 comentários:

Renata disse...

Bota medo nisso. Eu sou uma que tô tentando há um ano e meio me acertar com pediatra, não por ouvir esses absurdos, mas por só encontrar gente desinteressada ou mal educada.
Por sorte parece que o médico que fui hoje parece ser decente...
Beijos

Camila disse...

Rê, que absurdo!! Como tem profissional tão mal preparado atendendo por aí, não me conformo. Qdo a pessoa é esclarecida, ok, mas qdo pega alguém que não sabe nada, é um perigo, né?! Fico de cabelo em pé tbem!!
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.blogspot.com

Janaína Mascarenhas disse...

Que absurdo!!!!!
Sem comentários!

Sofia disse...

Ė mesmo que barbaridade... Imagina o resultado disso em pais que confiam nesses pediatras :(

Grace disse...

Pânico, Terror e Agonia...eheheheh
beijosss

Mariana Hart disse...

Nossa, que horror!!! Parece até piada né?! Mas eu tb escuto cada uma tão surreal que chega a ser inacreditável!

Eu tive essa sorte, graças a Deus! Confio de olhos fechados na pedi dos meus, mas demorou 6 anos p/encontrar "a tal". E amo de paixão, posso contar a qualquer hora! É muito bom!

Bjão grande!

Than disse...

Nossa q horror!
Tem cada profissional no mundo q da medo!
Mas pra escolhga ser a certa a gente tem q ter varias opinioes diferentes ne....eu sou a favor disso sempre!

Bjos em vcs!

Mãe de Duas disse...

Rê,
Minha pediatra também me sugeriu oferecer o biscoito champagne ao invés da maizena, mas ela teve o cuidado de me orientar a procurar a versão SEM açucar, obviamente. Existe sim, é preciso ficar atenta à gôndola no supermercado.

Bjs
Priscilla

Dani disse...

Olha Rê, quando Nina tinha 1 ano e pouco, pegou uma virose dessas chatas com v6omito e diarréia. Ela tava na casa da minha mãe, que ficou desesperada e levou num pediatra antigo lá da minha cidade. Saí correndo do escritório e consegui acompanhá-las na consulta. Foi sorte. O médico deu uns 3 antibióticos pra criança e mandou eu dar o remédio com coca-cola. Juro!
Quando questinei qual era a medicação dada ele não fez força alguma pra me explicar. Disse que era um alopático e ponto.
E, ao saber que a Nina não tomava coca (não toma refri até hoje!) ele disse que já era hora dela experimentar!
É...socorro mesmo!
Beijo, querida!
Tô voltando...devagarinho!
Dani

Paloma, a mãe disse...

Menina, cada dia me escandalizo mais com estes pediatras. A maioria empurra LA para mães que não têm problema algum com amamentação. E enchem mãe e bebê de remédios (para aumentar a produção, para chorar menos, para dormir mais, deus me livre!). Eles CRIAM o problema para empurrar LA, geralmente porque o "bebê tá com pouco peso", não "está bem na curva" etc. Mas são incapazes de olhar para cada bebê e cada mãe e vê-los na sua individualidade, para muito além de curvas e padrões pré-estabelecidos.
Eu escolho pediatra a partir de alguns pontos básicos, mas o principal é se apoia a amamentação em livre demanda, porque daí já dá para pressupor boa parte do que vem adiante (introdução de alimentos, desenvolvimento, puericultura).
Espero que a Lia venha comentar, pois ela tem uma história bem bizarra, nesse nível das que vc postou.
Beijos

Lia disse...

CRM djá!

lolo disse...

Olha só, a Lara ainda não bate palmas! ai meu deus, kkkkk

Fabiana Friedrich disse...

Eu passei por um susto quando meu filho tinha 2 anos.
Levamos ele ao pediatra,porque estava com febre,dor de garganta e reclamava muito de dor nas costas.
O médico pediu vários exames que não apontaram nada de errado,ele disse que poderia ser um "verminho".Não ficamos contentes com o resultado e levamos ele,naquela mesma noite a outro pediatra,que pediu somente um raio-x.O que ele tinha era pneumonia...Naquela noite minha vontade era de bater na porta daquele médico e das uns tapas na cara dele.Mas não fiz fui socorrer meu filho né ?!
Beijinhos adorooo seu blog.

Anna disse...

O grande problema é quando esses profissionais (?) estão lidando com gente desinformada. Aí é um perigo.

Pq quando é com gente informada, só vira motivo de piada e perda de tempo e diheiro.

Medo!!

Mariana disse...

é por estas e outras que amo a pediatra do gabi.....que absurdos!

Li disse...

Rê,

Na primeira vez que levei meu bebê ao pediatra, ele tinha uma semana. Foi em junho do ano passado. Estava um frio intenso e a consulta estava marcada para as 19:30 hs. Quando entramos na sala do pediatra, tinha uma janela aberta e ele pediu que eu tirasse a roupa do meu filho e eu disse que tiraria mas que tinha dó por causa do frio e ele me respondeu:
_ Tem criança que nasce em lugares que neva. É assim mesmo! Não tem que ter dó!
Achei um absurdo!
Depois disso levei meu filho lá por mais alguns meses e não gostava muito.
Teve um sábado que meu filho, com 4 meses caiu da cadeirinha do carro (que tinha destravado) e bateu a cabeça no chão. Ficou super mole e sonolento. Eu fiquei desesperada! Tentei falar com ele e não consegui. Levei ele para o hospital e ele ficou internado por 28 horas
Tentei falar com o pediatra por 4 dias e não consegui.
Na consulta seguinte contei o ocorrido e perguntei como poderia falar com ele aos finais de semana se acontecesse alguma coisa e sabe o que ele me repondeu?
_ Eu já trabalhei muito de final de semana. Agora não trabalho mais. Você não vai me encontrar!

É claro que mudei de pediatra! Agora estou gostando, mas é difícil marcar horário com ele porque ele é muito concorrido!

Beijos!

Lívia.

Júnia disse...

Rê, hoje mesmo levei a Laura ao pediatra, pq. ela tava com febre. Ainda não estou satisfeita com ele, pq. parece que só o que importa é o gráfico de cresimento da OMS! Eu tenho tantas dúvidas, e ele parece não dar bola... Este é o segundo que vou. O primeiro receitou NAN quando ela tinha 15 dias, pq. ela estava engordando 10gr por dia, e queria que eu tomasse um remédio pra aumentar meu leite, que funciona como um antidepressivo. Fugi! Mas é claro que dei o NAN. A impressão que eu tenho é que eles não olham para cada caso de maneira singular...

kkfaria disse...

Nossa, cada absurdo mesmo! Meu Deus!

Lua Ugalde disse...

Eu fico indignada com esse tipo de profissional! Graças a Deus tive a sorte de pegar um pediatra mto legal, que gosto mto. Mas agora, que mudei de cidade, morro de medo de encontrar pelo caminho médicos como os citados aqui.
O pior é que de nada adianta denunciar, pois nada acontece, não é mesmo?!

Fabiana disse...

Que tipo de gente é esta que se predispõe a cuidar da saudade de crianças, e depois vem com conselhos deste tipo?
Pra mim isto não é falta de competência, é falta de caráter mesmo.

bjos

Carol Garcia disse...

tô passada.
affff....
bjo