terça-feira, maio 11, 2010


Todo dia

E o dia é assim:
Por volta de 7h o dia começa, quando a Nana acorda, eu já levanto de uma vez, dou de mamar pra pequena e desço pra tomar café da manhã com o maridão, com a gatinha na cadeira ao lado olhando tudo. Papai sobe pra se arrumar pro trabalho e eu fico com a gata na sala, que normalmente dorme calma e silenciosamente (esse fenômeno só ocorre durante o dia! rs!)
Por volta de 9h o Dedé acorda, aí troco fraldinha, roupinha e dou de mamar pra ele. Temos uma hora e meia de brincadeiras. Nesse tempo, procuro me dedicar somente a ele...desenhamos, brincamos, tudo que ele tiver vontade. Normalmente a Nana colabora e costuma dormir (sempre ali pertinho, no carrinho ou bebê conforto). Dorme mesmo com todo o barulho do Dedé brincando.
Por volta de 10h ela acorda, então troco fralda, amamento, coloco novamente no carrinho por perto pra poder arrumar o Dedé pra ir pra escola. Coloco a roupinha, arrumo a mochila e vou levá-lo. A moça que trabalha aqui em casa para tudo que está fazendo pra ficar com a mocinha enquanto eu vou e volto da escola.
Vamos até a escola conversando horrores ou cantando ou ele vai me contando tudo que vai fazer na escola - a primeira coisa é sempre "bubunça". rs!
Então eu volto pra casa e normalmente a gatinha ainda está acordada, então aproveito pra dar banhinho nela. Depois que a princesa está linda e cheirosinha, mamãe almoça. Então, se ela dormir, eu aproveito pra deitar um pouco também...se ela não dormir, fico à disposição dela.
Por volta de 15h40, saio pra buscar o pequeno na escola. Normalmente ele dorme no caminho, então chego em casa, coloco na caminha e desço pra ficar com a princesa, amamentar, fralda e aquela coisa toda.
Aproximadamente 18h o pequeno acorda e fica brincando um pouco até eu aprontar o "papá". Dou jantinha pra ele, fico brincando na sala e depois subo pra dar banho nele. Banho tomado, descemos novamente e ficamos desenhando, lendo "ivo", brincando de moto e o que mais inventarmos até o "papai chedá". Então papai chega, brinca um pouco com o menininho, janta e então subimos todos. Papai conta história (João e o pé de feijão - papai sugere outras, mas ele só quer essa há mais de um mês - papai já está craque!!!rs!) e coloca o Dedé pra dormir, enquanto eu fico com a pequena fora do quarto para o resmunguinho dela não atrapalhar o processo de colocá-lo pra dormir.
Dedé dorme e começamos a "saga" da noite, já que a princesa não gosta de dormir à noite. Eu e papai nos revezamos pra cada um poder dormir um pouco. Ela chora, resmunga, se contorce todinha e não fica em lugar nenhum, não quer berço, nem carrinho, nem cama, nem bebê conforto, nada! Nós achamos que deve ser cólica, porque a pequena chora muito, mas não dá pra saber direito. Sei que normalmente papai dorme umas 5 horas por noite e eu umas 3 ou 4 dividida em dois períodos de 1h e meia ou 2h. E nesse período todo ela dorme pouquíssimo, não fecha os olhinhos mesmo...
...E o dia recomeça às 7h da manhã.

O melhor é que no meio disso tudo tem as milhões de variantes, como por exemplo: Nana dormindo tranquilamente, mamãe acomoda o Dedé no cadeirão e ela começa a chorar desesperadamente. Pego no colo pra acalmar e o Dedé começa a repetir: "mamãe, Dedé qué papá tudo"...
Ou então, Nana está mamando calmamente quando o Dedé acorda da soneca da tarde com um pesadelo e berra, chora, grita e faz birra. Eu amamentando a Nanae conversando com ele, dizendo que se acalme e ele querendo "tóio da mamãe"(colo)...
Ou a pequena chora no meio do banho do Dedé ou o Dedé quer brincar com a furadeira quando ela está quase fechando os olhinhos...
Enfim, não posso exigir sincronia nos dois pequenos e ainda é cedo pra conseguir estabelecer uma rotininha eficaz, ainda mais nessa fase de cólicas, gases e mamadas a cada 2h ou 3h horas. Só sei que acaba o dia e eu estou toda dura, dolorida de tanto cansaço! Em qualquer canto que encosto, eu durmo, parece que tenho botão de on/off.

E como nem tudo é cansaço - a gata está cada dia mais gata! Tá linda, gorduchinha e gostosa e o Dedé cada dia mais carinhoso com ela, quer pegar e fazer carinho o tempo todo. Quando ela chora, ele logo me avisa "mamãe, a Nana tá choiando, ela qué mamá".
Outro dia, do nada, ele olha pra ela enquanto ela estava chorando e diz: "Nana, num picisa choiá, Dedé tá ati". Quase morri do coração com esse instinto de proteção.
Eu to cansada (muuuuuuuuuuuuuuito cansada), mas não me canso de agradecer pelos meus dois pequenos lindos, que enchem a casa de alegria.
13

13 comentários:

Dani disse...

Sabe Rê, mesmo com todo esse turbilhão de coisas acontecendo tudo ao mesmo tempo e agora, você me deixou com vontade de ter mais um bebê!
Sério! Nem sei se vc percebeu, mas, me mostrou que sim! É possível ter mais um filho e que tudo vai se encaixando...
Nem sei como te agradecer por isso! Eu ando toda dividida aqui, pensando se tenho ou não o segundinho e esses relatos tão sendo ótimos pra essa minha fase!
Te desejo muita força, de novo! E um abraço carinhoso prá mostrar que vc tá no caminho, amiga!
Beijo!
Dani

lolo disse...

Ai, adoro posts com rotina - mesmo que ela nao exista, hehe. Adoro rotina, ja fico pensando em horários, em como funciona o mamar de tres em tres horas, essas coisas. Apesar de que eu sei que nao e bem assim que funciona, mas e otimo ler o dos outros, hehe.

Lia disse...

Pois não é que a furadeira sé voltou contra a família? Ó, céus! ;)
Quando você disse que dá de mamar pro André é mamar mesmo, no peito, ou mamadeira? Porque se for peito, menina, eu quero saber qual o truque! Eu tinha a intenção de amamentar a Emília até os dois anos, mas pensei que isso pode não ser possível se eu engravidar antes.

Roberta disse...

Nossa, fiquei cansada também.
Tempinho pra você, nenhum, certo?

Fabi disse...

Menina, aquele papo de que mãe tira forças do além é muito verdade né?
Mas também é verdade que depois que passa esta fase crítica, a gente esquece todos os perrengues e curte muuuito.
E se não fosse assim, ninguém tinha mais de um filho né?

Beijocas pra você e força aí viu?
Estamos (ou já estivemos) todas no mesmo barco!

Paloma, a mãe disse...

Re, tô cansada só de ler - e imaginar o que me espera - imagino vc. Tenho uma sugestão: peça ajuda da empregada nas horas em que eles estiverem muito dessincronizados. Tipo: para ela dar a comidinha do André enquanto vc acalma a Nana.
E logo as cólicas dela passam e ele vai ficando mais independente (querer comer sozinho, por exemplo), o que vai te ajudar a conciliar. Sei que é difícil delegar (eu também não gosto), ainda mais para empregada, mas às vezes é necessário, né?
Beijos

Cynthia disse...

Que coisa mais fofa seus filhos e o carinho entre eles. Assim vc me anima pois não vou mais tomar anticoncepcional. Já tomei 10 anos, parei 4 ai veio a Paola e agora chega de remedios e vamos esperar aumentar a familia kkkk bjs cy

Isabella Estanislau disse...

Oi Renata, Meu nome é Isabella e sempre acompanho as sua aventuras de mãe no blog e me identifico com muitas das suas estórias pois tenho uma lidinha de 1 ano e 9 meses. O motivo desse post é para te contar de uma outra coisa que descobri que temos em comum. Bem eu moro em São Paulo há 4 anos, mas nasci em Recife -PE. Recentemente descobri que você é amiga de uma amiga minha de adolescência, que também mora em São Paulo. É Cristina Hélcias! Como esse mundo é pequeno!!!! Bem , boa sorte para você e força!!!!

carolina disse...

Qual o horário da escola do Dede? Achei estranho ele voltar 15:40! Parabéns por ser uma SUPER mãe, eu já estaria em pânico, arrancando os cabelos :) tudo de bom.

Bianca disse...

Ai Re, li ontem, mas quem disse que tive tempo de comentar? A sua rotina é uma correria né?! Eu tenho pensado muito em ter o "próximo(a)" em breve, com uma diferença pequena como a tua, mas confesso que tenho medo, é uma correria só né?!
Beijos e um feliz dia das mães atrasado, mas de coração!!!

Andréa disse...

É assim mesmo querida.
Mas acredite em mim,um dia vc vai sentir saudade desses momentos.
Filho crescido não é muito interessante.hehe
Beijos cheios de saudade.

Kryx disse...

Amiga, feliz dia das mães atrasado!
Sigo com o desejo de que "a força esteja com você!". Fiquei muito cansada só de ler o seu relato. Bjs

Letícia Volponi disse...

Ai, rê, admiro demais essa sua disposição, superando o cansaço em prol das crias. parabéns!