quinta-feira, dezembro 17, 2009


Tapa

Ontem de manhã, desci com o André pra brincar aqui no prédio. Levei a motinho dele e alguns carrinhos pequenos.
Uns dez minutinhos depois, desceu também um outro menininho da mesma idade do André, junto com a babá e o menino logo veio atrás dos carrinhos do André. Ele começou a brincar com os carrinhos e o André não liga a mínima que mexam nas coisas dele (não sei se ainda não entrou nessa fase ou se é da personalidade dele, mas não se importa mesmo), e continuou na motinho feliz da vida.
Não sei porque motivo a babá do outro bebê cismou que ele não podia mexer nos carrinhos e disse: "devolve o carrinho do André". Eu disse que não tinha problema, que ele poderia brincar à vontade, mas ela continuou dizendo a ele para devolver.
O André não estava nem olhando para os carrinhos, então eu realmente não entendi porque ela cismou que ele tinha que devolver. Eu disse mais uma vez que ele poderia brincar, mas ela insistiu e disse para o menino: "Se você não devolver, eu vou te bater".
Acho que nem o menino estava entendendo tudo aquilo e na hora que a babá disse isso, ele jogou o carrinho longe. A babá não teve dúvidas, deu um tapão na mãozinha dele.
Eu fiquei besta, chocada, completamente sem reação. Não sabia se pegava o carrinho e dava de volta pra ele, se dava um abraço nele, se brigava com a babá....fiquei em choque! O menino, obviamente, começou a chorar e a babá, não contente só com isso, ainda o pegou pelo braço e disse: "Já que vc só chora, nós vamos subir".
E foi embora pra casa com o menino!
Sério, aí não aguentei, meus olhos encheram de lágrimas e eu fiquei muito triste pensando no rostinho do menino e tentando imaginar o que estava se passando na cabecinha dele, porque em resumo: ele não fez NADA, levou um tapa na mão e ainda teve que ir embora.
Eu não culpo só a babá (ela também, mas não só ela) porque não sei qual o tipo de criação que os pais dão e como a orientam a agir, mas eu tenho muito MEDO desse tipo de criação. São esses pais que amanhã vão reclamar que não têm o respeito e o carinho dos filhos.
Eu, já toda chorosa, peguei meu filhotinho no colo e enchi de beijo!
Agora fico aqui pensando que devia ter feito alguma coisa, que devia ter falado pra babá que aquilo era muito errado, que o menino não tinha feito nada...mas fiquei paralisada. Que tristeza!
30

30 comentários:

Isa disse...

Re, eu teria falado com a mãe do menino. As vezes estamos fora em não sabemos o que está acontecendo. Se ela achar normal, tudo bem, vc fez sua parte. Eu falaria com CERTEZA!!!! Q raiva dessa babá!!!! bjo

Anônimo disse...

Amiga, conversa com a mãe do menino... se na frente dos outros a babá faz isso, imagina sozinha com ele! É como a Isa disse, você estará fazendo sua parte.
Beijo grande!

Cynthia Santos disse...

ops, mandei o outro comment e cliquei antes de identificar...eheheh
deve ser o sono...fui, Cynthia, mãe do Arthur quem comentou...eheheh
Beijo grande!

Paloma, a mãe disse...

Sim, procura saber quem é a mãe do menino e comenta com ela. Já vi muita coisa feia na pracinha que frequentava com a Ciça (de babá ficar de bate papo e nem olhar a criança, de chamar a criança de burra e coisa assim, mas babá batendo nunca presenciei). Mas, como foi num prédio, é mais fácil descobrir quem são os pais e comentar. Eles podem te odiar por isso (sim, tem gente que não aceita), mas vc fez a sua parte e também já está mesmo de mudança.
Beijos

Anna disse...

É Renata, voto com as meninas: avisa a mãe da criança. Ela provalvemente não sabe disso e, se souber e orientar a babá agir assim, ainda assim vai ficar feliz de saber que tem gente de olho.

Eu ficaria...

olha eu me metendo. desculpa!

Fabi disse...

Que horror!
É por estas e outras que vou parar de trabalhar e cuidar do meu pequeno por um bom tempo.

Fabi disse...

Que horror! É por estas e outras que vou parar de trabalhar e cuidar do meu pequeno por um bom tempo!

piscardeolhos disse...

Eu falaria com a mãe, certeza.
Mas se vc não gostar da idéia, manda um bilhete, um email, sei lá, Re!
Mas o menino merece esse help, eu acho!

beijo!

Andréa disse...

Nossa,cada coisa que aocntece né.
Eu tbm falaria com a mãe do menino,de repente ela nem sabe dessas coisas.
Como assim a babá bate na criança?
Super errada.
Que vaca insensível.
Beijos querida.

Journal de Béatrice disse...

Re...
Eu li o post e o meu coraçao ficou apertado. Imagino a sua sensaçao, eu sentiria a mesma coisa que vc. Sei que é uma questao delicada, mas acho que vc deveria falar com a mae do menino, nossa, tapa é coisa seria. bjss

dannah5 disse...

Renata, assim, babá nao pode educar dessa maneira, ponto! Se eh decisao dos pais corrigirem com tapa ai paciencia, cada um com sua pedagogia mas essa baba nao foi correta.
Creio eu q ela estava tentando "aparecer" na sua frente e por isso agiu assim, pra mostrar q educava. Pode ser q nem faça isso com o menino em casa, afinal ele nao reagiu quando ela ameaçou bater, mas ainda assim nao pode! Ela errou feio do inicio ao fim e obviamente isso deve acontecer em outras situaçoes ( publicas e privadas), mas enfim, tem q contar pros pais.

Eu apanhei de empregada pequena, por isso morro de medo!

conta sim

beijocas

Lia disse...

Eu não me meteria. Morro de medo da reação de certas mães ou babás. Provavelmente essa babá foi criada assim, e talvez ela realmente ache que está disciplinando o menino. É difícil; hoje eu deixo quieto. Talvez quando eu for mãe eu me meta, mas sinceramente não sei. Muito complicada essa situação.

Denise disse...

Ai Re, mais uma p o time do "conta", vai lá e conta SIM. Fiquei passada, não consigo admitir uma babá batendo na criança, tadinho do menino. Pior é que corre o risco de no futuro se continuar com esse tipo de criação, vir a ser ele o adolesente que bate na escola, que bate no prédio, na rua...depois haja psicólogo.
Conversa com a mãe e alivia a nossa consciência, agora á a nossa né.

Patrícia Boudakian disse...

ai menina, que horror... é difícil tomar uma atitude, mas quem sabe se procurar a mão do pequeno... difícil, né? mas vale a pena ser pensado com cuidado... SUSTO! beijo.

Bia disse...

Credo, fiquei chocada... Eu me coloquei no lugar da Mãe, e se ela não souber? Pelo jeito que o menino devolveu depois da ameaça isso deve acontecer sempre!
Acho que eu contaria também... Melhor do que ficar com isso na consciência, a pessoa que faça o que quiser com a informação ;]

Beijos!

Patricia disse...

Nossa, que péssimo. Procura saber quem é a mãe do menino, que pelo jeito vc vai logo sacar se dá pra falar numa boa ou se essa é a educação da casa mesmo. Que há risco dela se zangar com você, isso há. Maior saia justa. Tadinho do pequenininho...Bom para a gente ficar esperta.

beijos

Fabi disse...

Rê,

Eu sou da turma do conta sim!Pobre garotinho não fez nada de errado, imagina qdo faz o que pode acontecer? A mãe precisa saber, e se ela não gostar, è como a Paloma disse, vcs estão de mudança mesmo.O garotinho merece esta atenção.bjos

Dani disse...

Também não sei o que faria, Rê. Acho que seria meio impulsiva e já teria chamado a atenção da babá de cara. Acho que, mesmo correndo o risco de ser "entrona", contaria para a mãe do menino. Sei lá, melhor correr o risco de ser inconveniente do que deixar como está. Já sei, mada um e-mail para a mãe da criança com o link do teu blog! Beijo, outro pro André (ai...Nina tá morrendo de saudade dele!) e para a Mari!

Thaís Rosa disse...

putz... que foda... também ficaria muito mal!!!
mas minha primeira reação foi pensar como as meninas que comentaram, de dar um toque na mãe do menino, sutilmente, para ver se ela concorda com essa atitude da babá, ou se, de repente, nem está sabendo... Se você sacar que ela acha normal, deixa quieto... mas vale tentar.
Dá muita raiva saber que tem gente que põe filho no mundo pra tratar dessa forma desrespeitosa, agressiva e estúpida. Ainda bem que existe o outro lado - NÓS, HEHE - pra contrabalançar, porque senão esse mundo tava perdido...
beijo grande
tha

Renata disse...

Ai meninas, me convenceram! Não tenho cara de bater na porta e contar pra mãe, mas vou contar assim que encontrar com ela. E como a Paloma disse, to de mudança mesmo...se ela não gostar, não gostou, pelo menos alivia minha consciência!
Obrigada pelas palavras!
beijinhos, Re

Dani Claudino disse...

Putz!!!! Acho que eu falaria com a mãe da criança!!! Se ela faz isso na rua, deve espancar o moleque em casa...credo!
beju

Regina disse...

Renata,

Fiquei até arrepiada! Como ela faz isso?
Por favor, Renata, faça sua parte: conte pra mãe do menino.
Eu sei que nossos maridos podem dizer: Não faz isso, não é problema seu...
Mas é uma criança, ele não vai contar a mãe. Deus sabe o que essa louca faz quando está sozinha com ele. Um absurdo ela agir dessa maneira.
Ah! Mas eu falo mesmo! Um dia eu fui na praia, e tinha uma mãe com um bebê torrando no sol, carequinha e sem um chapéu, fora que estava nú e o sol era de meio-dia. Pois eu fui lá, apesar do meu marido ter dito que ia embora se fizesse isso, e disse: Olha, não faz isso com a pele dele. Eu sei que não é da minha conta, mas ele é muito pequenininho para ficar exposto nesse sol.
Falei mesmo.
Por causa de minha mãe uma babá foi mandada embora. A criança vivia gritando e minha mãe é fogo! Ela fala na cara mesmo, tá nem aí. Ela contou a mãe da menina, que a menina gritava e que ela achava que a menina estava sendo maltratada. Pois a mãe ouviu minha mãe e mandou a outra embora.
Fora que, uma vez, na igreja, minha mãe encontrou uma amiga minha, que puxou a orelha da filha. Na segunda vez, ela nem isso fez, minha mãe segurou a mão dela e disse: Não faça isso. É horrível receber puxão de orelha!
Ah! Eu tenho pavor de ver criança sendo maltratada. Eu falo mesmo e minha mãe é pior que eu.

Beijo!

Sonica disse...

Mais uma p/ "turma do fala sim com a mãe do garoto"!!!!
É assim que conseguimos alertar alguns pais, e até "salvar" uma criança de tantos sofrimentos evitáveis...
Imagino como vc ficou, eu já presenciei muitos absurdos como esses, alguns fiquei também atônita, passada, mas outros enfiei a cara e falei aquilo que achei ser o certo, e nunca me arrependi!
Bjão

Fabiola disse...

Renata,
Imagino seu drama! mas pior é o drama de consciência.. por mais que seja chato, é melhor vc falar, pq fica com a consciência de que fez o que devia... e quem achar ruim que coma menos... tem que lembrar que é uma criança e deve ser protegida sempre... e se os pais tratam ela assim, realmente tenho pena desta criança!

Anônimo disse...

Oi Renata, me desculpe se for muito direta, mas fiquei horrorizada.... acho que você deve falar com a mãe deste menino não só para livrar sua consciencia, mas principalmente para proteger esta criança, pois o mais provável é que a mãe não saiba, e se essa baba fez isso na sua frente imagina o que ela não faz quando esta sozinha com ele, já soube de casos horríveis de babas que maltratavam crianças e os pais desconfiaram e colocaram camera escondida e descobriram, com prisão e tudo, isto é muito grave! Meu filho não tem baba por opção minha de deixar de trabalhar para cuidar dele, mas fico super preocupada de um dia acabar precisando de uma baba, sei que não podemos generalizar, mas acho isso uma questão muito complicada. Acho que é seu dever como mãe contar a mãe desse garotinho o que aconteceu.
Beijos e boa sorte.
Ana

Rebeca disse...

Tenho pensado muito no papel das babás e o que elas representam na nossa sociedade hoje. Sei que cada caso é um caso mas acho que muitas vezes as famílias delegam a função de educar a elas ou as tratam como se fossem funcionárias das crianças. Agora, babá bater em criança? Dá vontade de sentar a mão é nela!

Mãe do Pitoco disse...

Tô chocada, Rê! Tadinho do neném! Conta, sim. É muito provável que a mulher ( a mãe) lhe dê um fora, pois a babá não deve ser tão sonsa assim a ponto da mãe não ter percebido que tem algo de errado. provavelmente, ela deve fazer vista grossa, mas no dia em que vc estiver bem, não muito sensível, fale com a mãe, pelo menos vc fez sua parte. Se preferir, para não correr o risco de ficar tristinha, peça para seu marido procurar a mulher. Vc está grávida e deve se preservar. Beijocas

Elise Machado disse...

Rê, eu faria exatamente o que vc fez - nada, mas pq daquelas que fica tão chocada que fico sem reação.
Sou incapaz de chegar pra uma mãe (se fosse a mãe) e falar alguma coisa, mas sendo a babá, fala mesmo!

Coitada da mãe, às vezes não tem alternativa, e nem imagina que a imunda da babá faz uma coisa dessas.

Fala mesmo... como vc diz - vc vai mudar mesmo!
Beijas

Fabi disse...

Rê, obrigada pela dica!
Vou ver se encontro este que vc indicou para experimentar!

Um beijão,

Cynthia disse...

Tb acho um absurdo. meu bebe nasce em abril e volto a trabalhar em outubro, não tenho com quem deixar mas prefiro colocar na escolinha do que com babá. Sou profª trabalho só meio período e tem uma escolhinha infantil da minha amiga atras de casa. Eu confio e se não tiver outro jeito pretendo colocar lá. Pelo menos são profissionais e não estão sozinhos com minha Paola. Bjs Cy